“O conhecimento hoje adquirido e bem administrado é fruto de sucesso amanhã”

Geovanni Geraldo Antunes, 44 anos, casado, pai de duas filhas. É filho de Gercino Antunes, nosso saudoso vice-prefeito e D. Lourdes. Formado em administração de empresas pela Unopar e hoje cursando Direito na Unipac Bom Despacho. Estudou nas Classes Anexas do Colégio Miguel Gontijo e na Escola Prof. Wilson Lopes do Couto, mudou-se para Belo Horizonte em 1978, onde completou o 2° grau e a faculdade. Trabalhou durante 13 anos na fábrica da Fiat Automóveis em Betim e retornou para Bom Despacho em 1999. Hoje empresário em nossa cidade administrando uma livraria e duas lojas de mangueiras hidráulicas, sendo uma em Bom Despacho e outra em Martinho Campos.

Ítalo – A crise financeira mundial tem dado trabalho a você nos seus negócios?

Geovanni – A crise está aí, só o nosso governo é que não vê. Tenho hoje contabilizado, uma redução de vendas de 30% na livraria e 40% nas lojas de mangueiras, e esta redução está em todo ramo e lugar, haja visto que, aqui mesmo em Bom Despacho várias empresas já fecharam as portas, isto é reflexo da crise.

Ítalo – Como você as oportunidades de negócio para BD?

Geovanni – Nossa Bom Despacho é carente de algumas coisas, tais como, cinema, teatro, frigorífico, além de outros setores, mas eu acredito muito no potencial de nossa cidade, principalmente no que se refere ao agronegócio. 2010 eu vejo com otimismo, pois, como diz o velho ditado “depois da tempestade vem a bonança”.

Ítalo – Possuir livraria num país repleto de analfabetos é oportunidade ou obstáculo?

Geovanni – Falta incentivo por parte das autoridades,veja bem, num país onde o número de analfabetos é grande o governo deveria era criar um programa de analfabetismo zero, começando pela diminuição da carga tributária dos livros e dos materiais escolares, além disso, as verbas repassadas para aquisição de novos livros para as bibliotecas são escassas. É uma questão de prioridade penso eu. Num país onde falta remédios, hospitais, médicos, saneamento básico, estradas, vai sobrar dinheiro para comprar livros? Se perguntarmos para nossos governantes qual foi o último livro que eles leram, será que vão se lembrar?

Ítalo – Qual o grande obstáculo para manter a livraria?

Geovanni – A principal dificuldade de manter uma livraria, é que, nem todas as pessoas têm o hábito de leitura. Em nossa cidade isto já começa a mudar e o número de leitores vem crescendo gradativamente ao longo destes 7 anos que estamos no mercado, para tanto, nós não medimos esforços, mantemos um estreito relacionamento com todas as escolas de Bom Despacho da rede municipal, estadual e particular fazemos divulgações de livros, realizamos feiras e contação de histórias infantis. Nós iniciamos praticamente na mesma época em que a Unipac veio para Bom Despacho, e à medida que se formam mais pessoas em cursos superiores aumentam também o número de pessoas interessadas em livros, seja para especializarem, seja para concursos ou simplesmente por lazer. Hoje em dia os livros infantis são muito atrativos, e o nosso investimento é a longo prazo. Nós acreditamos nessa turminha jovem que vem crescendo com uma livraria à disposição, e que com certeza serão grandes leitores. Parafraseando Bill Gates “ Meus filhos terão computador sim, mas antes terão livros.”

Ítalo – Mensagem Final

Geovanni – Eu gostaria de falar aos jovens de nossa Bom Despacho, que serão os futuros empreendedores e empresários de nossa cidade, que eles estudem, aproveitem seu tempo nas escolas, nas livrarias, nas faculdades, pois o conhecimento hoje adquirido e bem administrado é fruto de sucesso amanhã.

“NÃO SÃO OS MAIS APTOS NEM OS MAIS INTELIGENTES OS QUE SOBREVIVEM, MAS OS QUE SE ADAPTAM MELHOR AS MUDANÇAS.” ( Charles Darwim)

Rápidas e Rasteiras:

Comemoração do 88º Grupo de Escoteiros: foi realizado no último sábado dia 16/05 no salão São Vicente um jantar em comemoração dos 25 anos do grupo de Escoteiros de nossa cidade,foi um evento bastante concorrido com homenagens e apresentação de vídeos que contaram a história do grupo.

Cadê o Ministério do Trabalho? Está causando muita indignação em nossa cidade a paralisação dos serviços prestados pelo posto do Ministério do Trabalho que funcionava na Câmara Municipal com o serviço de rescisões contratuais e fornecimento de carteira de trabalho. Todo o transtorno devido a uma ordem da Superintêndencia. Foi formada uma comissão da Câmara Municipal formada pelos vereadores Ricardo Alvarenga, Roberto Gontijo, Marcos Fidélis e Jefinho juntamente com a ACIBOM E APROCON para buscarem uma solução para o impasse.

Câmara dos Deputados aprovou MP que cria programa Minha Casa, Minha Vida: o projeto de lei de conversão do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) à Medida Provisória (MP) 459, cria o programa habitacional Minha casa, Minha Vida. O programa destina-se à construção de moradias para famílias com renda de até dez salários mínimos, com garantias para o sistema financeiro e subvenções para compra de moradia. O objetivo é construir 1 milhão de moradias no país. Maiores informações na Agência da Caixa da Praça da Matriz.

Ítalo Coutinho é Professor e Coordenador do Curso de Gestão Estratégica de Projetos e Empreendimentos da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta