Neste feriado de Páscoa encontrei-me com o Cabo Vinícius. Ele estava à trabalho na entrada do Batalhão. Parei para conversar com ele, contar que havia estudado no Colégio Tiradentes e que meu pai era militar reformado. Também falamos de filhos, a minha criança está com quase 4 anos e o filho dele pouco mais de 1 ano.

Foi quase impossível não levar o assunto para a criação dos filhos e o mundo no qual nossos filhos vão viver. Tivemos uma opinião em comum: é importante participar e estar presente na criação e na educação das crianças. Os valores não mudaram, torna-se imprescindível todo esforço para a construção de indivíduos fortes e preparados para os desafios.

Fizemos uma foto, conversamos mais um pouco. Continuei meu passeio pela cidade. Andar de bicicleta ajuda na saúde e nos mostra em detalhes como anda o lugar onde vivemos (ou as mudanças ocorridas nos últimos anos).

Cb. Vinícius, Felipe e Ítalo – a valorosa PM e seu legado para nossas vidas

Velocidade que mata!

No final da manhã da Sexta da Paixão um cachorro poodle branco morreu atropelado. A caminhonete Strada verde musgo em velocidade excessiva para a Av. Martinho Campos não teve tempo para desviar do pobre animal. O cachorrinho estava limpo, deveria pertencer a donos cuidadoso. Naquele dia o cachorrinho não foi para casa.

Temos visto na cidade um esforço da Prefeitura e da BDTrans para que os veículos não ultrapassem 40 km/h. Já escrevi aqui um artigo mostrando que esta velocidade além de segura não interfere na ida e vinda das pessoas, cargas, coletivos, etc. Nesta velocidade o nosso tempo de reação é bem superior do que a 50 ou 60 km/h.

O dono daquela caminhonete certamente não teve nenhum remorso. Não parou o carro para saber o que houve. Poderia ter sido uma criança ou um idoso, poderia ter ocorrido com alguém da sua família, da minha família ou algum conhecido que lê este artigo.

“Um livro, uma caneta, uma criança e um professor podem mudar o mundo” Malala Yousafzai.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta