Uma onda de violência vem causando pânico na população da região metropolitana de São Paulo. Trata-se de uma verdadeira guerra civil que vem matando civis e militares sob mandos de acerto de contas, pagamento de dívidas, vingança e domínio de poder.

No meio desta confusão encontra-se uma população que não sabe mais em quem acreditar. No domingo passado, dia 18, o programa da TV Globo, Fantástico, mostrou novamente as cenas de policiais prendendo cidadãos e tudo indica foram executados ali mesmo. Um cinegrafista amador grafou tudo.

Caso avaliássemos a estatística, tudo está dentro de um panorama aceitável. A ciência das probabilidades e da previsão do futuro por números, diz que há 10 anos o número de mortos por 100 mil habitantes tem se encontrado na população paulista na faixa de 8 a 11, em 2012 até agora o índice já chegou em 10 habitantes mortos por cada 100 mil (algo em torno de 0,001%). Pequeno o índice, não quando um dos mortos pode ser você ou alguém muito próximo. A violência não tem lugar, idade, cor, religião, sexo, para acontecer. Está infelizmente disseminada.

De acordo com o balanço dos seis primeiros meses de 2012, divulgado nesta quarta-feira, a cidade de São Paulo teve 21% mais homicídios dolosos que o mesmo período do ano passado. O número de assassinatos passou de 482 para 586.Os homicídios dolosos também aumentaram no Estado. O crescimento se deve ao registro de 2.183 casos no semestre de 2012, contra 2.014 no mesmo período de 2011, um aumento de 169 casos, ou 8,39%. O secretário Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, durante a cerimônia de formatura de soldados da Policia Militar

No primeiro semestre, foram 55 casos de latrocínio (roubo seguido de morte) na capital paulista, 4% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. No estado, houve queda de 1,14% nessa modalidade de crime. Foram 176 casos no primeiro semestre de 2011 contra 174 em 2012.

A recente crise entre Palestina e Israel trouxe à tona a discussão sobre paz no Oriente Médio. No resto do país, inclusive nas grandes cidades como Tel Aviv, Jerusalém e Haifa, se respira uma maior sensação de alívio pelo fim das hostilidades. Mesmo assim, uma enquete divulgada ontem pelo Canal 2 (TV local) apontava uma oposição de 70% de oposição ao fim dos bombardeios israelenses.

Netanyahu, primeiro ministro israelense, reconheceu nesta quinta-feira o descontentamento de parte da população pela suspensão do Pilar Defensivo, operação apoiada por 84% do país. Nela, o saldo foi de 164 palestinos mortos, mais da metade civis, e seis israelenses mortos, quatro deles civis. “Sei que há cidadãos que esperavam uma resposta ainda mais dura. Também estamos preparados para ela. Como fizemos durante esta operação, decidiremos quando, como e contra quem atuar”, disse Netanyahu na sede central da Polícia Nacional em Jerusalém. Netanyahu ressaltou que o cessar-fogo é “o correto para Israel neste momento”.

Em oposição a tudo isso tem Serra da Saudade, onde o último homicídio aconteceu na década de 50. A cidade de 807 habitantes traz o bucolismo do interior de Minas e uma questão a pensarmos: como resolver o problema da violência em um mundo superpovoado e interesses complexos ?

Pense nisso e bons projetos!

 

Link do Profissão Repórter = http://migre.me/c05LP

Painel

Presidente do Crea-MG: o Engenheiro Jobson Andrade esteve em Bom Despacho para proferir palestra sobre Sustentabilidade Ambiental e sistema CREA-CONFEA. O evento aconteceu na última quinta e teve apoio dos cursos de Engenharia da UNIPAC. Jobson está promovendo uma verdadeira revolução no CREA-MG, os eventos em 2012 marcaram uma série de debates com vistas a engenharia como fator de mudança da nossa sociedade.

Prêmio Santander para Universidades: a UNIPAC recebeu a premiação da edição 2012 por ter sido o centro acadêmico que mais apresentou projetos para concorrer. A Faculdade foi representada no evento pela Diretora Geral Débora Guerra;  o Diretor Executivo Martinho Martins de Andrade,  o Diretor Acadêmico Gustavo Hoffmann e pela Gerente de Marketing, Aline Cardoso. O evento contou com algumas presenças significativas como: o presidente mundial do Santander, Emilio Botín; pelo Ministro da Educação, Aloizio Mercadante dentre  outras autoridades ilustres. (fonte site da Unipac).

Opinião do Especialista
 Computação Forense, um dia você poderá precisar dela.Para quem nunca ouviu nada sobre o tema, a computação forense é uma nova técnica que utiliza métodos científicos para a coleta de dados digitais. Basicamente é uma maneira de escovar os bits em busca de evidências de crimes virtuais para serem utilizados em juízo ou não. Existem inúmeras técnicas para coletar, validar, identificar, analisar, interpretar e documentar tudo que possa ser usado como prova científica em fraudes virtuais, ataques por vírus, ocultação de informações e resgate de dados. Sim, através da computação forense podemos resgatar até mesmo informações deletadas de um disco rígido. Em sua grande maioria, essas técnicas são utilizadas para buscar informações sobre pedofilia, spam, phishing, roubos virtuais, desvios de verba, acessos indevidos, dentre outros.A perícia forense computacional foi criada com o objetivo de suprir as necessidades das instituições legais no que se refere à manipulação das novas formas de evidências eletrônicas. Ela é a ciência que estuda a aquisição, preservação, recuperação e análise de dados que estão em formato eletrônico e armazenados em algum tipo de mídia computacional.Para quem estiver interessado no assunto, é necessário primeiramente conhecimento na área de engenharia de software, banco de dados,  redes de computadores, sistemas distribuídos, arquitetura e organização de computadores, programação e sistemas operacionais. Além disso, o interessado tem que aprimorar seus conhecimentos nas ferramentas específicas para realizar a busca dessas informações. 

Um perito forense tem como principal objetivo chegar até o criminoso virtual (cracker) analisando as evidências e pistas deixadas pelo atacante. Além disso, é necessária a realização de quatro fases do examesendo – preservação dos dados, extração, análise e formalização.

 

Para quem está na área de tecnologia e quer se aprofundar sobre o assunto, existem bons cursos e livros que tratam dessa nova tecnologia. Abaixo deixo alguns links úteis para os interessados.

 

Portal educação – Curso Online de Educação Forense (http://migre.me/ba6Ji)

Academia Clavis – Análise Forense Computacional (http://migre.me/ba6PB)

Livro Perícia Forense Computacional [Prentice Hall] (http://migre.me/ba6Sm)

 

Bons estudos!

Fale com o Especialista: Wendell Silva – wendell.silvabd@gmail.com

Posts Relacionados

Deixe uma resposta