Com a chegada da 2ª gestão do Fernando Cabral na Prefeitura, é preciso resolver problemas antigos. Quando Fernando recebeu a administração municipal, em 2013, havia débitos e as contas não fechavam. Devido a muito esforço e trabalho constante, as contas públicas se encontram em dia.

Agora encontramos um ambiente mais propício para que o problema do lixão seja resolvido de vez. É algo muito mais intenso do que simplesmente criar o aterro sanitário, equipá-lo com máquinas e pessoal para o seu manejo. Trata-se de um trabalho da Prefeitura com a população.

Foto do Aterro Sanitário de Bom Despacho - fonte: PMBD
Foto do Aterro Sanitário de Bom Despacho – fonte: PMBD

O Município, por meio de recursos próprios, construiu uma estrada como importante elo entre a BR 262 e o centro da cidade. Agora é preciso se organizar financeiramente e não esperar mais por recursos federais ou estaduais. O lixo é causador de várias doenças. Ao tratá-lo resolvemos problemas e criamos uma cultura de reciclagem e economia.

Primeiro, fortalecer a associação de catadores de materiais recicláveis, dando condições para que vire um negócio e remunere adequadamente a todos. Fortalecer também empresas que se interessem em trabalhar com materiais recicláveis no município. Em paralelo fazer um trabalho forte nas empresas em geral, da micro à grande empresa, solicitando e motivando a coleta seletiva. Quem separar seu lixo corretamente ganha desconto no IPTU ou ISS, por exemplo.

Após empresas e catadores estarem conscientizados, treinados e fortalecidos, o próximo passo é fazer o mesmo com a população em geral. Ganha desconto no IPTU aquele morador ou condomínio que acondicionar corretamente seu lixo, gerar menos lixo e fizer a seleção dos recicláveis. Escolas e associações sociais também podem e devem fazer sua parte, contribuir para a educação das crianças, para que em casa elas possam dar o exemplo.

Por último, cuidar urgente do serviço de coleta que até hoje usa um caminhão inapropriado e pessoal sem equipamentos de proteção individual adequados. Fazer nova licitação, cancelar o contrato atual, mesmo sob multa, pois é muito feio ver pela cidade aquele caminhão velho e todo desajeitado pegando o lixo.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta