É mais barato comprar no comércio da cidade ou fora dele?

No início dos anos de 1900, Henry Ford, fundador da primeira fábrica de automóveis no mundo que utilizou os conceitos de produção em série, estabeleceu que cada um de seus funcionários deveria ter um carro de sua fábrica. A FIAT Automóveis no Brasil tem uma política que concede 18% de desconto para seu funcionário que desejar comprar carro de sua linha de fabricação. Assim, os empresários buscam com fórmulas simples e não muito recentes, promover o ciclo virtuoso de comercialização dos seus produtos e garantir a continuidade dos seus negócios.

Vender para o mercado interno é algo novo no Brasil, mesmo em cada região diferente do país. Veja um exemplo: o adoçante que você consome é fabricado em São Paulo, o sal vem do Rio de Janeiro, brindes como camisas e bonés do Paraná, palmito do Norte e assim por diante. Somos cercados de produtos que por um motivo ou outro foi produzido fora do nosso Estado e Município. Mas será que poderíamos consumir mais produtos fabricados em Bom Despacho ou região?

Acredito que sim, o que iria gerar mais empregos e oportunidades para os profissionais se fixar aqui, desenvolverem a economia local, criar empregos indiretos (como na área de cultura e educação). Poderíamos ter mais fábricas de produtos do nosso cotidiano, uma boa pesquisa de mercado seria o mapa da mina. O leite que produzimos poderia se transformar em subprodutos consumidos na região (em sua totalidade), a produção de café e milho poderia ser ampliada e novos produtos colocados no mercado local.

Os preços praticados em supermercados na cidade são ligeiramente mais baixos ou iguais do que na capital. Mesmo em produtos mais sofisticados, a variação não é tão grande. Hortifrutigranjeiros também têm o mesmo comportamento. O engraçado é que alguns produtos saem de Bom Despacho ou de cidades muito próximas, vão para o centro de distribuição na região metropolitana de Belo Horizonte (CEASA-MG) e depois retornam para nossos mercados. Será que uma espécie de CEASA regionalizado poderia reduzir custos de transporte, garantir produtos mais frescos e assim favorecer a produção agrícola local?

No vestuário ocorre também uma situação inusitada. Peças de roupas do nosso dia-a-dia podem ser compradas nas lojas por valores pouco acima que os praticados em Divinópolis e Belo Horizonte. O bom-despachense prefere viajar a outras cidades, consumir combustível ou a passagem do ônibus, gastos com refeição e assim comprar fora da cidade. Buscando produtos mais personalizados? Será que as lojas não têm oferecido o que de mais novo tem na moda atual? Qualidade? Muitos questionamentos poderiam ser feitos e com respostas variadas, o que é certo é que se tem gente comprando fora é um sinal de que o comércio precisa se adaptar a esse consumidor e procurar atendê-lo.

Rápidas e Rasteiras:

Parque de Exposições: na última terça-feira foi realizada uma produtiva reunião na sede da Associação Comunitaria dos Bairros São José e Adjacências para a discussão da saída do Parque de Exposições. Foi apresentado um pré- projeto do loteamento onde funciona hoje o parque. Estiveram presentes a diretoria do Sindicato Rural, representantes da associação de bairros, moradores e o prefeito. Haroldo disse que será parceiro na construção do novo parque, pois sabe do beneficio que isso proporcionará a toda a comunidade. Mais uma vez destacamos que quando unimos as forças todos nós saímos ganhando.

Feira de Pedras e Cachaça: foi uma verdadeira prova de união e bons resultados. As feiras esse ano em conjunto superaram as expectativas. O setor de pedras que sofre uma crise já há algum tempo apresenta sinais de recuperação, isso sem dúvida é muito bom para nossa economia.

Correios: continua as reclamações com relação a entrega de correspondências em alguns bairros de nossa cidade, especialmente o Jaraguá e o Conjunto Pedro Tavares Gontijo.Os moradores desses bairros pedem providências, essa situação tem prejudicado em muito a vida desses cidadãos.

Encontro de Atiradores do TG 04-006: será neste sábado na AABB o encontro da turma A de 1989 comemorando 20 anos que serviram ao glorioso Exércíto Brasileiro.

UNIPAC promoverá curso de gestão comercial: o treinamento será ministrado por Walisson Oliveira e faz parte de uma série de eventos de capacitação que serão realizados pela parceria do CREA, CEASF e UNIPAC. Mais informações pelo site www.unipacbomdespacho.com.br.

Ciclismo na cidade: a prova Desafio Bom Despacho que ocorreu no último domingo demonstrou o interesse dos bom-despachenses por esse esporte. Parabéns aos organizadores e já vamos pensar nos próximos eventos.

Ante-projeto para o aterro sanitário: os alunos do curso de Pós-Graduação em Gestão de Projetos de Engenharia da PUCMinas de Belo Horizonte, turma do primeiro semestre de 2009, iniciaram em setembro o trabalho de final de curso onde o tema escolhido foi o ante-projeto para o lixão de Bom Despacho. A proposta está contando com o apoio do Secretário Municipal Paulo Sérgio, o vereador Ricardo Alvarenga e o engenheiro Alexandre Cardoso, aluno do curso, que em conjunto com Jorge Santos (de Ouro Preto) lideram o grupo de estudantes. Os resultados serão apresentados no final do ano a comunidade em palestra aberta ao público e autoridades municipais.

Este e outros artigos você encontra no blog HTTP://www.www.italonaweb.com.br

Ítalo Coutinho é Professor e Coordenador do Curso de Gestão Estratégica de Projetos e Empreendimentos da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta