O texto desta semana vem refletir sobre o nosso desenvolvimento, os momentos de crescimento em algumas áreas que estamos passando e nosso estado cômodo diante do futuro. Talvez uma paródia moderna do famoso conto infantil sobre a cigarra e a formiga. O uso racional dos recursos e a poupança dos mesmos que não é feita, não tem sido uma boa prática para nós brasieiros.

Foto de 2009 (c) Internet

Hic manebimus optime. “Aqui nós estamos muito bem” é uma frase ficou famosa como expressão de uma decisão final para ficar em um lugar. Relatada por Tito Lívio em sua História de Roma (Ab urbe condita livros, V, 55) ela é atribuída a um centurião quando, após a vitória final sobre Veii, os plebeus estavam pressionando a deixar Roma, em oposição à opressão dos patrícios. (Wikipedia). A foto acima retrata a antiga Colonia Santa Isabel, próxima a Belo Horizonte, quando do tempo em que se tratavam os hansenianos em “colônias”, na verdade, confinamentos sociais. Hoje o tratamento domiciliar da hanseníase é custeado pelo SUS. E o tabu, aos poucos, vai sendo rompido pelos conceitos contemporâneos de convivência com enfermidades rebeldes porém curáveis, a exemplo da própria hanseníase, AIDS e tuberculose.

Em tempos de bonanza é fácil gastar mais, arriscar mais. Ficaremos bem se pudermos balancear os desejos e realizações em fartura agora com nossa visão de futuro. Guardar um pouquinho, poupar recursos, sejam financeiros ou naturais, não custa nada e nos fortalece.

Fica a dica: pense no dia de amanhão mesmo que hoje as dificuldades parecem não existir ou estão longe.

Pense nisso e bons projetos!

Rápidas & Rasteiras:

Noite Italiana: o Rotary Club de BD está de parabéns pelo belo evento que ocorreu no último sábado, dia 22, com presença de Paola Gianini e banda.

Orlando se enrolou: o ex-Ministro dos Esportes tentou, retorceu, deu entrevistas, mas não resistiu, já é o 6o. do Governo Dilma a cair, o quinto (talvez nos infernos) por motivo de acusação de corrupção. Seria uma herança maldita do paizinho Lula?

Rotary Arraial com novo presidente: parabéns ao amigo Erivelton (Circullare) pela conquista, desejamos a ele sucesso na empreitada de levar adiante uma das casas de serviços mais atuante em nossa cidade.

Circullare e o leitor: na semana que correu recebi mensagem do amigo Rafael Martins agradecendo a instalação de novos pontos de ônibus no bairro Calais. A região é uma das que mais cresce na cidade e nossos cidadãos precisam se locomover adequadamente, meus agradecimentos a direção da empresa de ônibus por ter atendido esse pedido da comunidade.

Podcast´s da Rádio Difusora: uma vez por semana os textos do JONEG se transformam em 2 minutos de um discontraído bate-papo com o ouvinte da Difusora Bondespachense. Agradecimentos ao Prof. Dorvelino e ao Claudio Francis (comunicador e editor dos podcasts). Quem quiser ouvir basta acessar www.italonaweb.com.br.

Bancos privados tem normas para o Minha Casa, Minha Vida: instituições financeiras particulares interessadas em participar do Minha Casa, Minha Vida devem estar em funcionamento há pelo menos três anos. O Banco Central publicou no Diário Oficial as exigências para a participação no programa.

Represa pretende banhar terras bondespachenses: caso o projeto se concretize, teremos uma represa na foz do Rio Pará, encontro com o Rio São Francisco, o que irá criar um lago que chegará até nosso município. Apenas expeculação, vamos acompanhar para ver no que dá.

Faltam 216 dias para Bom Despacho comemorar 100 anos!

  • Mais informações sobre o Centenário em:http:www.senhoradosol.com.br
100 anos/ 100 soluções:

  • 41 – Aterro sanitário em local apropriado;
  • 42 – Banco de empregos: trabalhado integrado entre prefeitura, Unipac, associações de Bairro;
  • 43 – Internet pública nas praças da cidade;
  • 44 – Aulas de educação para o lar: manter a tradição de biscoitos, rendeiras, etc.

Mande sua sugestão de 100 soluções para a cidade para o contato desta coluna, sua participação é fundamental!

 

 

Posts Relacionados

One thought on “Hic manebimus optime: até quando?

  1. tive idéia deste artigo quando voltava a trabalho de visita a uma mineração próxima a Brumadinho, a entrada da ex-colônia está abandonada, mas os dizeres em latim permanecem, quem sabe um alerta para que pensemos no futuro e menos no agora, sem deixar de viver as coisas boas da vida.

Deixe uma resposta