O artigo desta semana também poderia se chamar: A Evolução dos Video-Games.

Mas vamos começar relembrando uma fase legal da minha vida, quando morei na Rua Gustavo Capanema entre os anos de 1985 e 1988. Naquela oportunidade pude fazer amizades que até hoje em dia prevalecem e que agora relembrando as aventuras e desventuras trazem bons momentos de volta a mente.

Giovani, Adrianinho, Roni, Ricardo, Xandinho, Alan e os meninos de outras ruas, juntos fazíamos e acontecíamos, numa época em que o Bairro São José era conhecido mais como Arraial dos Lobos e ficava bem distante de tudo.

download

Tela do Atari 2600 – ano de 1986

download (1)Tela do Master System da Sega – ano de 1989

images

Tela do MegaDrive da Sega – ano de 1991
maxresdefault

Tela do PlayStation3 da Sony – ano de 2013

Quase todos já tinham naquela época o Atari System 2600, era um videogame simples, barato, de fácil acesso, fabricado pelo Brasil pela Polyvox. O nosso ganhamos do pai quando ele estava fazendo curso da PM em Belo Horizonte, coincidiu com a compra de um tapete novo para a sala, o que faz trazer também lembranças do cheiro do carpete.

Jogos como Pacman, River Ride, Enduro, Hero, Decathlon eram um espetáculo. Dois controles, 16 cores, ligado na TV no canal 2 ou 3, passávamos a tarde inteira tentando bater recordes e mais recordes. Era fácil imaginar naqueles quadrados as figuras de homens lutando, carros competindo em rodovias, fantasminhas, aviões, navios, helicópteros, haja imaginação !

Em 1986 era a Copa do México, o Brasil não avançou depois de ser parado pela França, aquele bendito pênalti que o Zico perdeu! Tudo bem, mesmo assim a animação toda era com o campeonato de futebol que fazíamos no Atari. Tinha tabelinha para montar as quartas, semi e finais. Cada dia era na casa de um de nós, as mães ficavam malucas com toda aquela meninada.

Tempos bons, vivemos intensamente, saudades, mas Felipinho também vai poder aproveitar tudo isso!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta