Os projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) têm se tornado uma saída para muitas empresas que vivem desse negócio ou de empresas que desejam melhorar seus produtos (e serviços) por meio da exploração científica. Essa constatação tem sido comprovada pelo número maior de empresas e institutos que têm se firmado recentemente e aqueles que há mais de 20 anos lutam para se manter.

As linhas de financiamento em pesquisa e desenvolvimento vão além das universidades. SEBRAE e FIEMG por exemplo possuem recursos disponíveis para empréstimo em diversos setores de investimento. Na maioria dos casos nem todos os recursos são alocados nas pesquisas: acabam faltando projetos de qualidade para serem merecedores das oportunidades.

Como fazer um projeto de pesquisa e desenvolvimento vencedor ?

O ano de 2012 deve ter mais editais e chamadas públicas com recursos para empresas investirem em inovação. A perspectiva otimista é da FUMSOFT, Instituição Científica e Tecnológica (ICT) que apoia empresas de TI na captação desse tipo de recurso financeiro não reembolsável. “Esperamos que este ano o volume de editais volte ao patamar de anos anteriores”, afirma o gerente de negócios da entidade, Rodrigo Alves, que fez palestra no dia 24 de dezembro, dentro do Intercâmbio Empresarial FUMSOFT. “Geralmente, o primeiro desafio das empresas é compreender se o projeto a ser proposto é condizente com o que o edital pede”, explica Rodrigo.

As oportunidades existem, mas é preciso construir um plano de negócios para cada financiamento em P&D que surge. Alguns pontos importantes que não podem ser esquecidos:

1) Não deixe para última hora: muitas instituições acabam deixando muito próximo do prazo final para escrever e enviar a proposta, é claro que nada tão elaborado assim vai surgir num átimo;

2) Conheça a linha de financiamento: se sua empresa trabalha com energia, conseguir recursos numa linha de pesquisa para produção de vestuário não será fácil. Engano seu, dependendo da abordagem dada e da pesquisa a ser realizada, pode-se caracterizar investimento para racionalizar o uso de energia elétrica na produção de roupas;

3) Leia o edital por completo: apenas fazer o download do manual não é suficiente, é preciso conhecê-lo por completo e participar de todo o processo de proposições;

4) Escolha um grupo de trabalho adequado: se a linha de pesquisa cobra profissionais de nível sênior, apresente currículos de pessoas com essa competência;

5) Jamais invente ou fraude o seu projeto: todas as linhas de financiamento fazem uso de auditorias durante todo o tempo do projeto, por isso é bom apresentar algo consistente e real de acontecer.

Pense nisso e bons projetos!

Para saber mais:

– Fundação mineira de amparo à pesquisa: http://www.fapemig.br/

 

– FUMSOFT: http://www.fumsoft.org.br/

– CETEC: http://cetec.br/

 


Rápidas & Rasteiras

Fênix das associações de bairro: O COMAM (Conselho Municipal das Associações Comunitárias de Bom Despacho) encontra-se desativado. Um grupo de pessoas estão com intuito de colocá-lo em funcionamento novamente, para isso estão convidando para reunião no próximo dia 02 de fevereiro no Centro Comunitário São José situado na Avenida Padre Augusto 354 São José a partir das 19 horas.Participe vamos fortalecer novamente o movimento comunitário em nossa cidade.
Operação tapa-buracos: a cidade volta novamente a ficar cheia de buracos devido ao período chuvoso e pela qualidade.Mas tapar buracos com terra não é uma boa medida. Melhor seria fazer um asfaltamento descente. Daqui a pouco vem a cobrança do IPTU, com ou sem buracos nas ruas.
Terreno da Febem: estamos aguardando a utilização do terreno da antiga Febem, agora de posse de nosso municípo, destinada pelo governo do Estado de Minas.Trata-se de uma área nobre de 2.500.000 metros quadrados que bem utilizados podem resolver e atender diversas demandas de nosso município.Esperamos que haja uma ampla discussão para que essa área sejam bem aproveitada.

 

Faltam 125 dias para Bom Despacho comemorar 100 anos!

  • Mais informações sobre o Centenário em:http:www.senhoradosol.com.br
100 anos/ 100 soluções:

  • 66 – Transformar a FEBEM num amplo espaço multiuso;
  • 67 – Centro de Pesquisa em Agropecuária.
Mande sua sugestão de 100 soluções para a cidade para o contato desta coluna, sua participação é fundamental!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta