Negócio de família: como perenizar e inovar?

Não é preciso muita pesquisa para observar que grande parte dos negócios em empresas no interior de Minas Gerais é de origem familiar. Quando o patriarca (ou matriarca) ainda se encontra com disposição e possibilidade de desempenhar seu papel de gestor, o negócio fica conciso e segue um rumo normal. Afastou o idealizador (ou mantenedor), daí em diante problemas e mais problemas. Será que sempre foi assim e sempre será assim?

Modernizar, perenizar e diversificar são os verbos preferidos dos herdeiros mais novos que permanecem no negócio. Mas como fazer isso sem contrariar as gerações passadas, vencer fantasmas inexistentes e depois de tudo isso permanecer com a liderança no mercado onde atua?

Toda empresa, por mais antiga que pareça ser, buscou inovar e modernizar em algum momento. Modernizar é vender atualmente o que os compradores precisam e também o que não é tão usual. Lojas de chapéus hoje vendem mais do que um tempo atrás, mas quem está usando chapéus no dia-a-dia? Não é comum, mas os empreendedores mantém estoques de produtos novos e de coleções antigas. Tudo isso conciliado com outros produtos, com materiais mais modernos e atuais com as necessidades dos clientes.

Perenizar o negócio não é fácil. Como deixar para os filhos e depois os netos algo que agora está em franco crescimento? Primeiro lembrar-se da fábula da cigarra e da formiga, quem não guarda no verão, irá passar aperto no inverno. Segundo, sempre ter uma empresa com alto índice de liquidez e robusta economicamente, nos últimos tempos vimos que crises econômicas aconteceram, acontecem e vão acontecer, o pior é que não sabemos quando.

Vender eletrônicos e cereais a granel, artesanato local e tecidos do oriente, secos e molhados, isso não é novidade e bastante comum para os imigrantes árabes que fizeram e fazem muitos negócios em pequenos e grandes centros. A idéia é simples: atender sempre ao cliente, o que ele precisar nós teremos. Se não diversifica tão radicalmente, pelo menos é importante ter linhas de produto adequadas às intempéries e sazonalidades do mercado. Quem fabrica hoje rações de animais domésticos, pode ter também uma linha de rações para animais nobres, como cavalos de raça por exemplo.

Mudar é correr riscos. Assim, ao pensar em alterar aquilo que há anos vem sendo o sustento de gerações, seja cauteloso. Procure um administrador de empresa com especialidade naquele ramo de negócio. Elabore planos de negócio e análise de cenários. A melhor escolha virá de um bom investimento em estudo e serenidade.

Rápidas e Rasteiras:

Novo secretário: já temos em nosso município o novo secretário municipal de obras. Trata-se do engenheiro Cláudio Barros que já prestava serviços na prefeitura na área de projetos. Atualmente Cláudio reside na cidade de Martinho Campos, mas já morou em nossa cidade quando também ocupou uma secretaria no mandato do prefeito Geraldo Simão. Tomara que ele tenha êxito em seu cargo, pois a cidade está precisando de muitas obras e conservação de vias, praças e bens públicos.

Seriam os deuses astronautas arcoenses? Um objeto voador foi visto no domingo 09 de janeiro por freqüentadores do Parque Aquático Municipal em Arcos/MG, onde acontecia um evento,  e por moradores de Divinópolis. A aparição gerou curiosidade dos arcoenses e ganhou repercussão na internet. Um morador do Sul de MG também viu o objeto e comentou o fato com familiares.

Retorno da Câmara: nesta segunda dia 07 de fevereiro a Câmara Municipal retorna sua reuniões públicas plenárias. Esse ano promete muito, são várias matérias que precisam ser analisadas pelo legislativo municipal. A participação da comunidade é de extrema importância para que todos possam acompanhar,fiscalizar e sugerir. Por falar nisso, você tem acompanhado o trabalho do vereador em quem votou?

Atividades do Rotary Arraial: depois da pavimentação realizada na ABAP a próxima obra do Rotary Club Bom Despacho-Arraial será em parceria com a paróquia São Vicente. A construção de todo o passeio em volta da área total da Igreja de São Vicente, será feita através do empenho de todos os rotarianos que irão conseguir o material e a paróquia entrará com a mão de obra. A previsão para iniciar é no mês de março. Ajudem, procurem um amigo rotariano para saber como.

Carta do leitor – Estacionamento da Praça: “em resposta às alegações do Senhor Renato Serra Machado, publicado na coluna ”Rápidas e Rasteiras” do JORNAL DE NEGÓCIOS do dia 30/01/11 sobre o estacionamento na Praça da Matriz. Venho esclarecer que o mesmo está equivocando várias vezes.

1º – Quando diz que o estacionamento dos taxis começa em frente ao banco do Brasil e termina na Via Presentes, o mesmo precisa observar melhor, pois o ponto de taxi inicia na metade da frente da loja Eletrozema, distante do Banco do Brasil;

2º – Não sei se é do conhecimento do citado cidadão e leitor, que a frota de taxi em Bom Despacho é de 42 veículos e que nem todos possuem vaga para parar na praça por falta de espaço;

3º – Será que o mesmo tem conhecimento que todos os taxistas pagam para a prefeitura o alvará de estacionamento entre outros tributos?

4º – Quando o referido cidadão fala que é comum ver no grande espaço destinado aos taxis apenas 4 carros, significa que os demais estão em corridas ganhando o sustento da família, se o estacionamento estiver cheio é sinal que ninguém está faturando, que após o término de uma corrida, o profissional retorna ao ponto (estacionamento) a espera de um novo passageiro via telefone ou que comparece pessoalmente.

Em todas as cidades brasileiras há ponto de taxi na praça principal. Além do taxi possuo outro veículo e sempre que eu ou alguém da família o utilizamos é pago normalmente o estacionamento rotativo, quando esse está sendo cobrado. Respeito a opinião do senhor Renato, mas as alegações do mesmo sobre nossa classe não procede.” Enviado via e-mail, pelo Sr. Evandro José da Cruz, taxista, pelo correio eletrônico deborahcruz_bd@hotmail.com.

Gás natural em BD? Os cisterneiros de plantão e furadores de fossa costumam dizer que em nosso município vez ou outra encontravam no subsolo indícios de gases. A notícia de exploração de gás natural na região de Morada Nova (MG) já havia sido veiculada pelo Governo de MG no ano passado. O CREA-MG, em sua revista Vértice, edição de out/2010, publicou artigo explicando sobre a exploração. Veja no link http://migre.me/3N1Zh. Nesse final de semana, 29 de janeiro, a empresa Global Geophysical Services, anunciou a assinatura de um importante contrato com a Petra Energia SA para um projeto de aquisição de dados sísmicos em terra na Bacia do São Francisco de Minas Gerais, Brasil.

Curso de Extensão em Engenharia de Planejamento: para técnicos, administradores, engenheiros e profissionais envolvidos com projetos de construção civil, siderurgia, petroquímica e mineração. Mais informações em http://www.luisborges.com.br/lbc.

O poder da imprensa não se discute: sabe quais são as colunas mais lidas pelo meu afilhado (7 anos) e seu irmão (10 anos) no JORNAL DE NEGÓCIOS e SUPER NOTÍCIAS? Pedrinho e Duque, respectivamente, são as charges que atraem as crianças, com muita ironia e conhecimento político. Magoou!

Próxima semana: como ganhar mais com menos? Como iniciar um pequeno negócio e torná-lo algo rentável? Essas e outras perguntas para debatermos um tema interessante: aperfeiçoar recursos e empreender.

Este e outros artigos você encontra no blog HTTP://www.www.italonaweb.com.br

Contatos para esta coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta