(*) O texto a seguir foi escrito pela Laila Ribeiro e publicado originalmente no blog Sobre Livros

Tablet. Kindle. E-book. Livros digitais. Submarino. Saraiva. FNAC. Livrarias virtuais. Poderia encher uma página deste jornal citando os catalisadores que resultaram na tristeza que hoje abarca meu coração:

“A Equipe da livraria Mr. Book agradece a todos os clientes pela parceria nestes 10 anos e 6 meses de atividade. Muito Obrigado pela preferência!”

Fachada da Mr. Book – Foto: Laila Ribeiro

Com estas palavras encerram-se as atividades de um dos estabelecimentos comerciais mais importantes de qualquer sociedade: as Livrarias. Nos últimos dias, os cidadãos de Bom Despacho observaram o fechamento da memorável livraria Mr. Book. Não sei ao certo o que motivou tal ato, mas acredito que faça parte do movimento mundial.

Diariamente leio notícias informando que as livrarias estão fechando as portas em todo o mundo. As livrarias que não estão acompanhando o ritmo das mudanças tecnológicas estão em crise. Podemos apontar causadores, como os leitores de livros digitais ou as livrarias virtuais, mas procurar culpados não faz sentido. Precisamos nos adaptar, entender que as inovações tecnológicas estão aí para serem absorvidas.

Engana-se quem imagina que nossos jovens leem menos que os de antigamente. A verdade é que graças aos livros considerados de entretenimento, cada vez mais jovens estão sedentos para ler uma boa história. Esse é outro ponto em que devemos nos adaptar. Não adianta esperar que um jovem aprecie a leitura de autores como Padre Antonio Vieira se ele não tem maturidade suficiente. Para isso é tão importante livros como Crepúsculo e Harry Potter, que apresentam uma leitura agradável e divertida. Os livros de entretenimento são apenas o ponta pé, pois a medida que o jovem vai se apaixonando pelos livros é natural que vá em busca de autores consagrados com o tempo.

A Mr. Book fechou e essa é uma perda grandiosa para Bom Despacho. Muitos dirão que é exagero meu, mas foi graças a ela que eu comecei a ter prazer em ler. Foi nela que comprei meus primeiros exemplares. Lembro-me de ficar lá, folheando os livros, desejando e sonhando em levar todos para casa e devorar cada linha. Se hoje escrevo para o site literário www.sobrelivros.com.br parte da responsabilidade é da Mr. Book, afinal foi lá que comprei meu Jogos Vorazes…

Só através da educação que nossa sociedade melhorará. Só através da leitura que nossos jovens não repetirão nossos erros. Só o conhecimento liberta. Meu pai sempre me disse: “seus estudos são a única coisa que ninguém pode te roubar”. Nessas eleições verifique quais as propostas dos candidatos para a educação, essa é a melhor forma de construir um futuro digno para todos.

Laila Ribeiro é newposter, contista e resenhista do Sobre Livros. Para sugerir livros, criticar, elogiar, ou simplesmente bater um papo sobre algum livro, basta segui-la no twitter @ribeirolaila e dar a sua opinião!

 


Painel

Opinião do Especialista
Recursos e Ferramentas de sobra: aproveitamento de menos:No último mês de maio, alguns institutos de pesquisa com o apoio do Google divulgaram o resultado de uma pesquisa sobre a utilização e consumo de smartphones (também chamados de “celulares inteligentes”) em mais de 40 países. Em linhas gerais, a pesquisa constatou que 14% da população brasileira possui smartphone, o equivalente a 27 milhões de usuários, número maior que França e Alemanha. Interessante notar também que 80% utilizam o aparelho para pesquisar produtos ou serviços independente do lugar onde estão, seja nos transportes públicos, em lojas, na rua, no trabalho ou em casa, sendo que 66% fazem compras pelo celular pelo menos uma vez por mês. Diante deste panorama, muitas empresas hoje se perguntam como podem oferecer seus produtos e serviços nesta nova plataforma, a de dispositivos móveis.A primeira possibilidade é o desenvolvimento de um aplicativo próprio da empresa, que poderia ser instalado pelo usuário e utilizado para realizar pesquisas de produtos e efetivar negociações. É possível até mesmo utilizar aplicativos de terceiros que gerenciam todas as transações financeiras, o que permite à empresa aceitar pagamentos em cartão de crédito, boleto bancário, débito automático e desconto na conta de celular. Uma estratégia que vem sendo adotada com sucesso é a parceria entre empresas fornecedoras de produtos similares: elas contratam o desenvolvimento de um aplicativo móvel de acordo com suas necessidades e dividem os custos, reduzindo assim o valor investido por cada uma. Outra possibilidade consiste na reserva temporária de espaços nos aplicativos já produzidos por outras empresas e amplamente utilizados em smartphones, o que pode reduzir consideravelmente o valor inicial a ser investido.Aproveitar tudo aquilo que é oferecido pelo atual momento tecnológico brasileiro (e mundial) é imprescindível para as empresas, independente do seu porte. As novas gerações já nascem “conectadas”, o que força os administradores a pensar globalmente e buscar a inovação em seu negócio a todo instante, sob pena de ser ultrapassado por um concorrente que pode estar a quilômetros de distância…
Fale com o Especialista: Prof. Eduardo Melo /  educmelo@gmail.com

Nota do colunista: em outubro/2012 os textos voltam a ter notas do cotidiano de Bom Despacho.

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta