O desafio da Educação Básica e Fundamental em Bom Despacho

Essa semana, que iniciou comemorando o dia das Crianças e no meio teve o dia do Professor, escolhi conversar com a psicóloga e professora Sandra Correia. Ela tem especialização em Psicopedagogia, atua em Bom Despacho como diretora e coordenadora pedagógica do Colégio Novo Ser desde 1993, ou seja, há 15 anos. Minha escolha foi devido a uma pergunta que havia me feito logo quando mudei para BH no final dos anos 90: por que outras cidades da região tinham escolas particulares e nossa cidade ainda não tinha ?. Acompanhem a entrevista e entendam como ela respondeu meu questionamento:

Ítalo – Como foi a decisão de abrir uma escola em BD?

Sandra – Há 15 anos, a decisão de abrir um escola em Bom Despacho veio da necessidade. Na época havia mercado e junto com outras duas sócias (Juliana Pessoa e Sueli Correia) que eram renomadas professoras de educação infantil na cidade, a escola se formou de forma gradativa e tranqüila. Inicialmente a perspectiva era para que fosse apenas uma “pré-escola” que atendesse crianças de 1 a 6 anos. Mais tarde com a aquisição de uma outra escola e, por conseqüência, um espaço físico mais abrangente, os horizontes se ampliaram e começamos a implantar o Ensino Fundamental a partir da 1ª série. Sempre tivemos um currículo avançado, dinâmico e com propostas sólidas de formar cidadãos preparados para uma formação social, ética e de qualidade.

Ítalo – Quais as dificuldades e desafios para manter a escola?

Sandra – Os desafios para se manter uma escola são muitos. Principalmente nos dias atuais onde a velocidade da informação e do conhecimento nos atropela. O excesso de informação atrelado à tecnologia o que nem sempre conseguimos acompanhar na velocidade adequada. Em nossa rotina de trabalho, a todo o momento, somos desafiados a resolver problemas de diversas naturezas, freqüentemente, essas situações se constroem a partir de idéias muitas vezes fechadas e descontextualizadas. A escola passa, então, a ser ponto de referência e responsável por questões que nem sempre são responsabilidade dela. A escola é cobrada a lidar com o individual cada vez mais e a resolver problemas de ordem afetiva e social que são responsabilidade da família.  Por isso a relação família/escola precisa ser fortalecida. A avaliação também é grande desafio porque não pode mais ser uma avaliação limitada e somente preocupada com notas. A avaliação deve ser dinâmica e abrangente valorizando as habilidades e competências de cada aluno. Além de todos estes desafios temos também a formação de professores que precisa ser cuidada diariamente, além da valorização da profissão. Mas o principal desafio para a gestão é conciliar educação de qualidade com baixo custo. E a pressão por mensalidades muito baixas nas escolas de Bom Despacho provoca um efeito de turmas cheias interferindo na qualidade do trabalho.

Ítalo – Para o futuro o que a administração da escola tem preparado para competir nesse mercado da educação?

Sandra – Nossa proposta sempre se mostrou como referência na cidade, principalmente pela ousadia de seus projetos de ponta como o trabalho com formação de crianças e jovens leitores e pelo investimento na formação integral visando, sobretudo, a formação de pessoas íntegras e felizes capazes de lidar com os desafios que o mundo apresenta. Realizamos evento de grande porte como a Felin (Feira do livro infanto-juvenil), Feiras de Projetos e Arte, Festival de Teatro e participação em Jogos estudantis entre outros eventos que contribuem para novas vivências e parcerias de nossos professores, alunos e familiares. Também para 2009 temos a proposta que vem agregar a nossa escola um novo modelo de gestão: Da educação Infantil (1 a 5 anos) ao Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) continuaremos Colégio Novo Ser e a partir do 6º ano(5ª série) até o Ensino Médio contaremos com a equipe e o gerenciamento do Colégio Darwin, trazendo uma nova forma de educação para Bom Despacho. A parceria vem agregar experiência, inovação e mais qualidade ao trabalho desenvolvido no Colégio Novo Ser.

Ítalo – Como educar em um mundo com valores tão diferentes daqueles que vimos há alguns anos?

Sandra – “A escola mudou”. “A família mudou”. “A sociedade mudou”. Ouvimos essas frases repetidas vezes e elas são verdadeiras. O problema é que nem sempre se enxergam estas mudanças e se tenta viver e educar como há 20 ou 30 atrás. A vida muda mais uma coisa é certa, valores e respeito são imprescindíveis. E quem transmite valores e educação básica do tipo(com licença, por favor e muito obrigado) é a família. E estes não deveriam mudar. O que não se pode esquecer é que quem educa são os adultos e é importante não deixar que as crianças assumam o controle.

Rápidas e Rasteiras:

Ainda as eleições – nessa semana estou escrevendo o artigo semanal ao JN direto de Ipatinga, onde vim ministrar um trabalho como professor convidado da Fundação Getúlio Vargas. Como curioso que sou perguntei aos moradores que tive contato sobre a vitória do Chico Ferramenta nas eleições 2008, a resposta foi bem clara, a população o receberá de bom grado.

Onde você jogou a pilha ou bateria sem uso? Sabia que elas contém elementos químicos muito nocivos vão agredir o meio-ambiente. A agência do Banco Real em Bom Despacho faz a coleta desse material, deposite lá.

Ciclismo em Bom Despacho – está em andamento a criação da ACB, Associação Ciclísstica Bondespachense, interessados em colaborar, liguem para o Cristovão  (37)8823-0008. Neste final de semana, nossos atletas Caio e Erivelto estarão disputando a mais importante prova do MTB Brasileiro, o Iron Bike nas cidades e Ouro Preto e Mariana, desejamos-lhes boa sorte e muita força para vencer.

Semana de Engenharias, Arquitetura e Sistemas da Informção –  a Unipac em conjunto com o CREA-MG irá promover uma semana inteira de apresentações, será do dia 21 a 23 de outubro. Aproveito para convidar o meu leitor a assistir minha palestra no dia 23, às 19hs, sobre o tema Gestão de Projetos; da Estratégia à Ação. Apareça lá para discutirmos boas idéias.

Torcedora cruzeirense realiza sonho – no jogo contra o Ipatinga no último dia 9, a entrada dos jogadores cruzeirenses foi diferente, usando uma camisa ilustrada por um desenho criado pela torcedora Larissa Guimarães, de nove anos, estudante do ensino fundamental de BD. Ela venceu um concurso promovido pelo departamento de marketing celeste e realizou o sonho de conhecer o Mineirão e entrar em campo com os seus ídolos.

Doações para o Museu da Cidade – o MdC se mantém do apoio da Prefeitura Municipal e doações dos seus associados e colaboradores. Nesta coluna gostaria de agradecer a presença constante da D. Zeli. Participe da AMC, maiores informações com o empresário Júlio Benigno (tel. 3522-2553).

Dia do Professor: a todos os meus professores do ensino básico e fundamental, o meu muito obrigado e parabéns pela data, em especial aqueles da Escola Estadual Chiquinha Soares e do Colégio Tiradentes.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta