O final-de-ano e nossas ações de solidariedade

Quando penso em Natal me vem à lembrança as compras que fazíamos no armazém do Raul, próximo ao Larguinho. Morávamos em Moema, onde meu pai era o comandante do destacamento daquela cidade. Outro bom momento do feriado de final-de-ano era quando íamos, com brinquedos velhos e cesta-básica, em alguma casa da periferia de Bom Despacho, fazer uma boa ação.

 

“Chega! Vamos dar um basta nesse processo insensato e genocida gerador da miséria que coloca milhões de pessoas nos limites insuportáveis da fome e do desespero.”, são palavras de Herbert de Souza em julho de 1993. Há quinze anos, Herbert de Souza – o Betinho – conclamava a população brasileira a dar um basta na fome e na miséria. Lançava-se, assim, o Natal Sem Fome. Hoje, oito anos após sua morte, a campanha continua ativa e fiel ao mesmo ideal: dar mais dignidade aos excluídos da sociedade brasileira.

 

Cada um tem o direito escolher como quer viver e como pensa em ajudar o próximo (caso queira). Pode parecer demagogia falar desse assunto repetidas vezes aqui no JORNAL DE NEGÓCIOS, mesmo assim, ainda penso ser pouco. Para algumas pessoas ajudar o outro é uma forma de alcançar certa divindade, para outros um escape, ainda existe aquele grupo onde estar ajudando é uma justificativa ou resposta para a sociedade.

 

Tudo o que fizermos ainda é pouco, podemos fazer mais.

 

No artigo passado deixei o seguinte pensamento no final de um dos parágrafos: precisamos não só ensinar a pescar, mas também a vender o peixe. Precisamos matar a fome de muitos, o governo tem buscado fazer isso ao dividir a riqueza da Nação com programas como o Bolsa Família, ainda é pouco. Alguns têm a grande preocupação de criarmos assim um bando de pessoas preguiçosas esperando a ação paternalista do Estado, a fome não espera, ela aperta a barriga e a mente de qualquer pai de família que vai ao desespero ao ver todos ao seu redor em situação deprimente. Que o dia Fabiano, o personagem central de Vidas Secas (obra de Graciliano Ramos).

 

Bom Despacho tem muitas entidades de apoio. Todas elas precisam de nossa ajuda para ampliarem sua atuação. Tem ainda os Correios (da praça e da Vigário Nicolau) com o programa de cartas ao Papai Noel. Fica aqui um pedido a cada um que ler esse meu artigo dessa semana: ajudem, seja doando alimentos, brinquedos, livros ou quem sabe um emprego.

 

Esse final-de-ano deixei de ser galho de uma árvore para ser outra planta, outra família. Serão duas famílias ajudando e com a sua, seremos três, assim, alguma criança da zona rural ou da periferia poderão ter pelo menos um Natal mais feliz.

 

Rápidas e Rasteiras:

Morcego beija-flor: comprei para minha casa 2 bebedouros de água para beija-flor, são daqueles que se penduram em locais altos de nossas casas. Segui a orientação de todo dia trocar a água e limpar, isso evita a criação de fungos que podem matar os pobres passarinhos que ali se alegram. Comecei recentemente a observar que a reserva de água estava se esgotando rapidamente de um dia para outro. Descobri que no período noturno recebia a visita de outros animais, não mais aves, mas agora de mamíferos: os morcegos beija-flor. Depois de passado o susto, de ver aquelas criaturinhas muito feias beberem a água doce, descobri que não trazem nenhum mal, mas era aconselhável lavar as vasilhas ou não deixar pernoitarem ali. Pois bem, foi o que fiz, todo início de noite vou lá e guardo os bebedouros. Os amigos noturnos sumiram, mas os pássaros diurnos continuam a se refrescar diariamente.

Ciclistas bom-despachenses têm ótimo resultado no Iron Bike: valeu Caio pelo 2º  lugar na categoria sub-23, parabéns ao Erivelto pelo excelente desempenho na categoria sub-40.Vocês honraram o nome de nossa cidade em Ouro Preto. A luta continua dia 9/11 em Curvelo.

Mudanças na AFAPE: no último dia 25/10/2008 foi realizada a assembléia da AFAPE ( Associação dos fabricantes de artigos com pedras semi preciosas de Minas Gerais),sendo eleito presidente para o próximo biênio o empresário Júlio Benigno Fernandez substituindo Ricardo Lúcio de Alvarenga que dirigiu os trabalhos nos últimos 2 anos.

Concurso de Presépio: já se tornou tradição na cidade, a cada ano o número de participantes tem aumentado. O concurso é uma realização do Museu da Cidade com apoio de grandes empresas da cidade. O seu regulamento pode ser encontrado no próprio MdC ou na Internet no site WWW.senhoradosol.com.br. Maiores informações sobre o concurso e sobre o museu com o empresário Júlio Benigno (3522-2553).

Pensamentos da Família Adams: “Nestes muitos anos, cheguei à conclusão de que um homem inútil é uma vergonha, dois são uma firma de advocacia e três ou mais são um Congresso” (Johan Adams – 1º Vice-Presidente Americano, 1735-1826). Que não seja a sina dos nossos novos vereadores! Colaboração de Roberto Coutinho, policial militar reformado.

Curso para engenheiros: em novembro vamos realizar em Belo Horizonte o curso Gestão de Projetos de Engenharia, interessados devem procurar maiores informações no site WWW.sme.org.br.

Inspetoria do CREA em BD de casa nova: a partir de dezembro as novas dependências da entidade receberão os técnicos, arquitetos e engenheiros da região, informou a arquiteta e Inspetora-chefe do CREA-MG Aline Ribeiro.

Show do Roberto Carlos: será dia 22, às 22:30 hs no Mineirinho na capital mineira, os ingressos variam de R$50,00 a R$550,00. Maiores informações no site WWW.ingressorapido.com.br .

 

Ítalo Coutinho é Professor do Curso de Gestão Empresarial da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br .

Posts Relacionados

Deixe uma resposta