Seria muita presunção comparar uma receita de bolo a se desenvolver projetos de Engenharia. A complexidade da fase de Design de um empreendimento não se compara a uma lista resumida de ingredientes para a massa da guloseima em questão. Mas será que é possível se estabelecer pelo menos um direcionamento?

Planejamento da Engenharia: sugestão para gerenciar Projetos Industriais

A Fase de Engenharia (ou também conhecida como Design) compreende o principal esforço intelectual e de discussão de soluções para o Empreendimento Industrial. Seja para novas plantas (a partir de greenfield) ou manutenção e expansão (brownfield), a escolha correta de alternativas pode vir a custar de 5 a 15% do projeto como um todo. Acertando-se na Etapa de Engenharia garantem-se economias e rapidez nas fases de construção e montagem. Essa etapa compreende basicamente:

  • Estudo de Viabilidade: o vai ou não-vai do empreendimento, são fixadas as variáveis financeiras para garantir a performance do projeto;
  • Engenharia Conceitual: parâmetros de processo, balanço de massa e fluxograma de processo definem como a alternativa escolhida irá trazer os resultados quando em operação;
  • Engenharia Básica: determinação dos principais pacotes de serviços e equipamentos, folhas de dados e listas de materiais de alto nível;
  • Engenharia Detalhada (ou Executiva): detalhes para fabricação e interligação de sistemas e utilidades.

projeto_industrial_fasesEtapas – A fase de Engenharia e as etapas do Projeto Industrial

A determinação do Planejamento da Engenharia será ponto crítico de sucesso. Cada etapa terá suas características próprias de planejamento e até mesmo de avaliação do esforço empregado, que poderá ser em horas empregas ou por formatos (sendo o último mais comum para a fase de Engenharia Detalhada).

Avaliando o escopo do projeto pode-se optar por desenvolver a Estrutura Analítica de Projetos (E.A.P.) dividida pelas disciplinas da Engenharia (Arquitetura, Civil, Mecânica, Elétrica, Telecomunicações, Instrumentação, Estruturas, Tubulação, etc) e subdivida novamente pela Área onde se aplicarão aqueles documentos ou até mesmo por equipamentos de maior volúpia. Os exemplos 1 e 2 a seguir demonstram uma sugestão para essa organização dos documentos ou serviços a serem prestados e posteriormente essas informações serão utilizadas para compor documentos de acompanhamento (cronogramas, curvas S, etc).

eap_engenharia_1

Exemplo 1 – EAP de Projeto de Engenharia organizado por Disciplinaeap_engenharia_2

Exemplo 2 – EAP de Projeto de Engenharia organizado por Área ou Equipamento

A próxima questão que se busca responder é: feito a distribuição e organização dos pacotes de trabalho, como sequenciar as disciplinas de Engenharia?

Segundo o Engenheiro Paulo Cid (trabalha na QETC Projetos), depois de várias reuniões na Petrobras, conseguiram convencer a equipe de Projeto de Engenharia que era possível, e inclusive mais fácil de
controlar, o planejamento por documento, onde cada documento era representado por uma atividade no cronograma. Nesse caso a precedência é por documento, e não por disciplina.

images

Dessa forma, uma boa prática é definir o rumo do projeto antes de definir o rumo das disciplinas.

Tudo é válido desde que não comprometa a avaliação final do gerenciamento da fase de Engenharia, vejamos:

1) Se o projeto tem uma estrutura contratual forte e estruturada (bem organizada para gestão do projeto) e exija a apresentação das informações em cima dessa estrutura utilize-a como padrão detalhando o que for necessário na sequencia apresentada pelo contrato;

2) Se o projeto não tem uma estrutura contratual forte porém existe uma cultura forte de projetos que a sua empresa já segue e tem funcionado bem, utilize-a como espinha dorsal detalhando o que for necessário;

3) Se não estão definidas nenhuma das opções acima e você tem a opção, liberdade ou obrigação de estruturá-la, adote os seguintes procedimentos:

3.1) Crie a sequencia de processos (qual disciplina vem antes da outra em ordem de execução). Tudo bem se você não tem a certeza de cada uma nesse momento, porém quanto mais próximo do real, melhores são as chances de serem aprovadas;

3.2) Organize a sequencia de disciplinas de acordo com os processos definidos no passo anterior;

3.3) Utilize ao longo de todo o projeto a mesma sequencia de disciplinas para facilitar o gerenciamento de informações;

3.4) Se necessitar de colocar um sequenciamento diferente em algum momento do projeto, identifique-o e altere-o conforme achar conveniente.

mqt

Projeto de Engenharia utilizando tecnologia 3D

Em resumo, tudo irá depender não de como você deve inserir as informações do projeto, mas sim de como elas serão extraídas dele. Seja coerente em apresentar sua E.A.P. de acordo com os princípios que você consiga explicar e identificar.

Lembre-se que o profissional técnico tem a grande tendência de achar que tudo que ele recebe em forma de lista está em ordem sequencial. Defina a ordem, explique-a ou torne sua estrutura auto explicativa. Se você criar um projeto com 20.000 tarefas, lembre-se que terá que gerencia-las. Talvez você poderia tê-lo criado com 10.000 ou com 1.000.

Detalhar a E.A.P. do Projeto de Engenharia é uma arte e dominá-la requer prática, se você já tem
essa preocupação, pode-se dizer que a tela para pintura você tem, basta organizar as cores para que o trabalho deixe de ser arte e passe a ser uma obra de arte.

Antes de mais nada é fundamental discutir todas as dicas e orientações anteriores com Engenheiros Projetistas experientes, avaliando e verificando qual o melhor caminho seguir. Clientes cobram padrões de documentos e numeração por disciplina, área e equipamento, o que também deve ser levado em consideração o tempo todo.

Concluindo, realizar o Planejamento da Engenharia trata-se de etapa crítica e toma tempo, não dá para fazer de uma semana para outra dependendo do porte do empreendimento industrial, mais atenção ainda caso seja um projeto complexo para a empresa contratante e suas contratadas, nesse caso uma gestão eficaz de interfaces irá ajudar em muito o planejamento e controle.

Tudo isso trata-se de um bolo muito especial, repleto de acessórios e cuidados para que ao ir para o forno não volte todo desforme, sem sabor e desencorajando quem fez ou quem solicitou. A Engenharia não é feita por receitas e sim por muito capital intelectual empregado.

Sobre os Autores

Marcelo Granado – curriculo, clique aqui

Ítalo Coutinho – curriculo, clique aqui

Posts Relacionados

Deixe uma resposta