Plantando o conhecimento – parte 1 de 4

Ano passado, no final dos 2 últimos meses, trouxe a cada 15 dias discussões sobre os ensinamentos do samurai Miyamoto Musashi. Pois bem, agora inicio nesta edição do JORNAL DE NEGÓCIOS, meu texto de número 501 (desde 1.999 escrevo semanalmente), sobre 4 princípios que acredito vão rejer os negócios, nossas vidas e profissões para os próximos anos, vejam só:

– Cultura do gratuito

– Valor de utilidade: preço justo

– Rede de parcerias: dividir o bolo

– Comunidade e rede de contatos: talvez não sei, mas sei quem sabe

É bom dizer que a primeira vez que concebi esses conceitos estava conversando com o meu amigo economista Ederson Passos (já palestrou junto com a Professora Rosalva, na UNIPAC em 2009). O dia mais exato desses insights foi 23 de março de 2008, se somar todos os números iterativamente (23/03/2008) dá o número 9, coincidência ou não, o meu número.

Vamos começar com o que chamei de “Cultura do gratuito”. Quero deixar bem claro que não estou inventando nada e nem tenho essa esperança. São percepções que nesse espaço sinto-me à vontade em discutir com meus conterrâneos. De graça J !

Em Bom Despacho existe um conceituado contador que uma vez por semana abre as portas de seu escritório para atender a todos que por lá aparecem naquele dia, grauitamente. O engraçado é que nesse dia vão pessoas com condições de contratar os seus serviços e clientes que realmente precisam dessa facilidade para resolver alguma pendência junto ao fisco, ao município, ao Estado, etc. Nesse dia todos os horários de atendimento ficam lotados.

Quando resolvo colaborar para um jornal, revista, site ou instituição de educação, seja com meus textos, apresentações e palestras, na maioria das vezes faço isso sem solicitar uma remuneração. Às vezes quando a recebo, converto em livros para a comunidade acadêmica. Não é que sou bonzinho e quero fazer o bem, é diferente, quero trocar idéias, quero trocar experiências, isso não tem preço.

Lembra do “é dando que se recebe”? É quase isso que quero falar-lhes. Se sou um profissional liberal e divulgo meu trabalho, se tenho um software (ou parte do código) e participo de um projeto de licença livre de programa de computador, se compartinho o meu conhecimento adquirido, estou sendo visto. Quem é visto é comprado, é requerido, é convidado a participar de ações mais arrojadas, e quem sabe, remuneradas. Na empresa ou na vida pessoal, isso deve ser planejado, até que ponto posso ceder parte da minha produção para divulgá-la? Ou parte do meu tempo da semana? Pense nisso e apareça em um novo mundo que já se iniciou.

Próximos artigos:

– Valor de utilidade: preço justo (06/março)

– Rede de parcerias: dividir o bolo (20/março)

– Comunidade e rede de contatos (03/abril)

Rápidas e Rasteiras:

Comissão aprova licença-maternidade de seis meses: o parecer à proposta, apresentado pela deputada Rita Camata (PSDB-ES), foi aprovado por unanimidade. O projeto tem ainda que ser votado em dois turnos pelo plenário da Câmara e encaminhada à apreciação do Senado.

Granja Brasília: empresa de nossa cidade que emprega mais de 150 pessoas. Atualmente está ampliando suas instalações para aumentar sua produtividade aproveitando o mercado aquecido. Nossos cumprimentos a todos diretores e colaboradores por acreditar na nossa cidade e no potencial do nosso País.

Câmara e Plano Diretor: todas as quintas-feiras à partir das 16 horas os vereadores e profissionais estão reunindo para discutirem as leis complentares que compôem o Plano diretor. Tomara que dessa vez seja aprovada essas importantes e fundamentais leis para garantirem o crescimento ordenado de nosso município.

Maranatá: vale cumprimentar os jovens que estiveram reunidos por 2 dias durante o carnaval na Casa Pastoral. Foram mais de 100 que participaram desse encontro com reflexões e muita oração. Parabéns aos participantes e organizadores do evento. Além do profissional e pessoal, devemos preocupar com o nosso lado espiritual.

Programa Rotary na Escola: visando atender alunos mais carentes o Rotary Club Bom Despacho-Arraial desenvolve um programa de distribuição de materias escolares. Este ano foram entregues mais de 400 kits escolares contendo todo material básico.O Rotary com a ajuda de empresas e pessoas. Pequenas ações, grandes resultados. Precisamos cada vez mais investir na Educação.

Preço da gasolina: o aumento do preço da gasolina foi menor do que o esperado pelo setor após a redução da quantidade de etanol no combustível, que passou de 25% para 20%. Segundo uma pesquisa do site Mercado Mineiro divulgada esta segunda-feira, o litro da gasolina sofreu, em média, um acréscimo de R$ 0,03. O estimado era uma elevação de R$ 0,06. Porém, em Bom Despacho, alerta o internauta Cláudio Antônio Rezende, “Em Bom Despacho foi diferente, o aumento foi de R$ 0,10 em litro de gasolina, muito mais do que o esperado”. Fonte: Portal Uai, www.uai.com.br, 08/02/2010.

Você foi vítima do mosquito da dengue?: deixe sua opinião na enquete do site http://www.bomdespachomg.com.br/blog. Veja a resposta postada pela internauta Rosângela Silva:”…  em janeiro fui visitar minha família e ficar alguns dias. Minha mãe mora no bairro Jardim América, eu e meu sobrinho fomos picados pelo mosquito da dengue, ficamos de cama por 1 semana. Fui passear e com a intenção de ajudar, pois na casa da minha mãe moram 3 pessoas idosas, infelizmente nem tive como ajudar,eu quem precisei de ajuda. Ligamos no Pronto Socorro e falaram que infelizmente a cidade estava infestada e tinha bastante gente para ser atendida, caso não fosse grave ir tomando Tylenol.”

Para pensar: “… o Haroldo acaba com a dengue, ou, a dengue vai acabar com o povo de Bom Despacho…”. Para aqueles que gostam da literatura de Lima Barreto, a frase foi um trocadilho àquela dita pelo personagem Policarpo Quaresma, preocupado com a saúva no Brasil. Também tenho outra opinião e tese que pretendo explorar no mundo acadêmico: o número de infestação e acometidos pela dengue refletem diretamente o pensamento individualista e atrasado de um povo, população, vila, cidade, estado.

Alô da semana: vai para o PM reformado, Rubens Pontes, morador do Bairro Esplanada. Tive a oportunidade de conhecê-lo em uma descontraída conversa de bar, onde me contou que é amigo do meu pai e do meu tio Rubens (seu xará). Seu Rubens, estou aguardando os comentários, lembre-se, o senhor prometeu ler a coluna semanalmente e mandar as dicas e idéias de artigos.

Este e outros artigos você encontra no blog HTTP://www.www.italonaweb.com.br

Ítalo Coutinho é Professor e Coordenador do Curso de Gestão Estratégica de Projetos e Empreendimentos da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta