Santa Clauss (Papai Noel) concede entrevista exclusiva ao JONEG

Neste final de ano tivemos a grata surpresa de realizar o sonho de muitas crianças. Conversei com o Pai Natal (como é chamado em Portugal) ou Santa Claus (para os americanos) ou simplesmente o Papai Noel. Essa figura lendária que nos faz lembrar dos primeiros natais de nossa infância concedeu-nos uma agradável tarde com um bate-papo quase interminável, à sombra das árvores da Praça da Matriz.

Ítalo: Vou chamá-lo pelo nome no Brasil, que é Papai Noel. Sempre tive uma curiosidade, como é sua chegada e entrega dos presentes para as crianças em nossa cidade?

Papai Noel: Tudo bem, pode me chamar assim, em cada cultura ou religião recebo um nome. Alguns me chamam de anjo da guarda, outros de orixá protetor, já me acostumei. Mas, respondendo à sua pergunta, está cada vez mais difícil chegar em Bom Despacho, às vezes as renas, principalmente aquela do Nariz Vermelho, empacam por causa da poluição sonora e ambiental da cidade. É preciso o prefeito de vocês rapidamente cuidar de instalar mais coletores de esgoto, saneamento básico, estações de tratamento de esgoto, bem como ficar de olho no intenso desmatamento do município. Voltando a sua pergunta, primeiramente passo pelas crianças dos bairros Cidade Nova, Aeroporto 2, Rosário, Fátima, Santa Ângela, São João, São José, Centro, Jardim dos Anjos, Tabatinga e por fim passo pelo Esplanada. Não é uma tarefa fácil, as crianças têm pedido muitos presentes eletrônicos, acabou essa estória de bola, boneca e jogos de tabuleiro. Estou pensando seriamente em rever meus conceitos, talvez ano que vem vou distribuir apenas brinquedos educativos e que estejam relacionados com a cultura de cada região, por exemplo, aqui para as crianças bondespachenses estou pensando em presentes como peteca feita de penas de galinha, pião, boneca de palha com olhos de botões e assim por diante. Quem sabe as miniaturas feitas de bola de gude do Seu Rubens ou as réplicas em madeira do Seu Vicente.

Ítalo: Você tem ajudantes, como é a atuação deles?

Papai Noel: Tenho sim, um deles é de sua cidade. Todos os anos ele e seus amigos reúnem cartas, entregues nas duas agências dos Correios que a cidade possui, e que são endereçadas a mim, em meu endereço no Pólo Norte. Eu olho cada cartinha e escolho uma pessoa para fazer a entrega do presente. É um ato de muita solidariedade, confesso que sem essa ajudinha algumas crianças poderiam ficar sem o seu presente.

Ítalo: Fazendo uma paródia com o conto inglês de Charles Dickens, onde o velho personagem Scrooge recebe os espíritos do Natal passado, presente e futuro, como o senhor vê os Natais em BD?

Papai Noel: Posso falar de um passado recente, onde as lojas se concentravam somente no entorno da Praça da Matriz. Os comerciantes eram tradicionais na cidade e o comércio era passado de pai para filho. Nessa época do ano todas as lojas eram muito enfeitadas e aquela roupa, brinquedo ou disco (LP) de música, difíceis de se encontrar no decorrer do ano, mas no mês de dezembro estavam à disposição para as compras. Hoje em dia o comércio encontra-se muito variado. O próprio carteiro tem feito minhas vezes, trazendo presentes adquiridos pela Internet. Existem mais lojas e espalhadas por toda a cidade, não somente no entorno da praça central. Velhos comércios não resistiram ao tempo e às intempéries da Economia (ou a alguma inabilidade de gestão de seus herdeiros). Vejo atualmente muitas lojas de preços bem mais accessíveis a toda a comunidade, inclusive, na última semana, uma loja que vendia roupas a R$10,00 estava até com fila. A cidade tem vendido muita coisa que produz, um exemplo claro é a feira de artesanato que ocorre todos os sábados, é possível presentear nossa gente, turistas e viajantes com produtos da terrinha, feitos por artesãos e artistas locais. Os Natais futuros são sempre uma incógnita, espero que as pessoas cada vez mais procurem valorizar o comércio local, as lojas de seus conterrâneos. Outra tendência forte é dar presentes cada vez mais simples, o que vale mesmo é a mensagem, olho o futuro mais esperançoso, acredito que vamos trocar reais por palavras, mesa farta por abraços calorosos.

Ítalo: Por fim, uma dúvida que nos ocorre todos os anos. O senhor rói as unhas?

Papai Noel: Hou ! Hou Hou!

Ps: aos mais desavisados esclareçam às crianças que o bom velhinho está presente todos os anos nas casas onde eles cometem menos travessuras, fazem seus dever de casa e respeitam os idosos. Ah! Adulto também pode receber sua visita, basta lembrar de ser um bom cidadão, preocupar com sua cidade e comunidade, saber votar e declarar certinho o Imposto de Renda.

Rápidas e Rasteiras:

O comércio varejista de vestuário e acessórios liderou a constituição de novos empreendimentos: no território mineiro neste ano, segundo levantamento divulgado pela Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg). O ramo de atividade foi ampliado com a abertura de 6,547 mil lojas. Em seguida, ficou o comércio de alimentos.

PSF São José: as providências estão sendo tomadas para a instalação em breve do posto de saúde, o que sem dúvida representa uma enorme conquista para toda a comunidade local onde terá uma equipe com médico, enfermeiro, dentista e os agentes de saúde. Nossos cumprimentos a Secretaria Municipal de Saúde e a Associação de Moradores que juntos sempre estão procurando fazer boas parcerias visando a melhoria da qualidade de vida.

Natal da SSVP: foi realizado no último domingo o tradicional natal dos assistidos da Sociedade São Vicente de Paulo, com a participação dos membros da sociedade e também de componentes do Rotary Arraial que são parceiros há vários anos nessa atividade levando alegria aos mais necessitados.

Campeonato Municipal: como já destacamos aqui o campeonato municipal de futebol está resgatando a importância dessa atividade esportiva em nossa cidade,o povo está voltando a prestigiar. Parabéns a todos os envolvidos.

Imposto trava a APL de Nova Serrana: diagnóstico aponta que a carga tributária é o principal empecilho para expansão do polo industrial. A carga tributária continua sendo um dos principais entraves para a expansão das indústrias calçadistas do Arranjo Produtivo Local de Nova Serrana, 90% dos entrevistados (empresários) consideram os tributos excessivos. O APL de Nova Serrana é o principal empregador do Estado. Fonte: Diário do Comério (18/12/2009).

Ítalo Coutinho é Professor e Coordenador do Curso de Gestão Estratégica de Projetos e Empreendimentos da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta