Em março deste ano comentei aqui o jogo de futebol entre o Real Ratinho e o Borussia Dortiziu. Os nomes são alusivos a grandes times europeus, mas traz algo em comum: a paixão pelo futebol. Além disso, ambos os times são formados por amigos de mais de 30 anos de amizade. Tudo bem, alguns nem tanto, mas uma grande parte sim.

Afinal estamos nos aproximando dos 40, uns colegas já chegaram lá, e o esporte tem sido uma forma de manter lembranças sempre vivas. Nesses encontros é possível contar casos da época da educação física, dos encontros na Praça de Esportes, no Ipê, no Recanto ou na Associação. Recordar, do latim trazer de volta ao coração, é uma forma de manter viva a chama da juventude, as amizades servem para isso também, não é.

Outros times estão se destacando, tem por exemplo o Fim de Carreira Futebol Clube, que até disputa o campeonato municipal. O profissionalismo está aumentando e as amizades cada vez mais próximas. Do Colégio Tiradentes está revivendo o Tirebas, time dos perebas, em futuro próximo vai promover um jogo beneficente contra os filhos já crescidos do Real Ratinho e outros times da cidade.

Os jogos vão lotar o calendário de eventos da cidade. Tudo promete que novos times estão por vir, além daqueles de bairro que acabam se fortalecendo. O esporte tem sua função social cumprida e aproxima gerações.

Amigos e gargalhadas garantidas, tudo entorno da paixão nacional: jogar bola.

 

PS: você tem um time e quer a foto dele aqui no Jornal de Negócios, mande para o e-mail da redação que publicaremos.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta