Produção Teatral: nossa cidade tem trabalhos de peso a mostrar

Cultura e História são duas frentes de atuação em nosso município onde encontramos as pessoas mais determinadas. A cada entrevista que realizo com pessoas dessas áreas vou melhorando minha percepção de que isso é quase um sacerdócio. Conversando com o professor e produtor cultural Geraldo Júnior de Souza, ou Juninho, como prefere ser chamado, pude ver como sua vontade é bem maior que as oportunidades atualmente encontradas. Em sua entrevista, Júnior passa essa idéia e apresenta os desafios.

Ítalo – Como foi o início da produção de peças teatrais em BD?

Júnior – Incomodados pelo fato de Bom Despacho não oferecer opções culturais no área teatral, eu e o Ítalo Laureano, demos o primeiro passo e estreamos em setembro de 2001 no Salão São Vicente a nossa primeira peça,  “Tudo Por Diana”, com um retorno bastante positivo principalmente com o público jovem. Empolgados, criamos o Grupo Fama e contando com patrocinadores locais  produzimos “A Sorte Grande” ( dez. 2001 ), “Uma Casa Pra Ninguém” ( março de 2002 ), “O Preço de Uma Paixão” ( junho de 2002 ). Em seguida, entramos no Projeto Trilhas da Cultura com a peça “Amor a 2” que se tornou nosso espetáculo de trabalho de 2002 a 2006 sendo apresentada em várias cidades do estado ganhando em 2004 o Prêmio de Melhor Espetáculo no Festival Centro-Oeste Faz. No mesmo ano de 2004, foi a vez de investirmos no público infantil com a peça “O Menino Que Só Queria Cantar”, que ganhou o Festival Raízes da Belgo em 2005 e, em 2007, trabalhamos com “A Fantástica Saga de Tonho Estrela e Sua Amada Nívea Luanda”, também para o Raízes. Atualmente, o Ítalo está em BH onde cursa Teatro na UFMG e faz parte da Cia. Drástica de Teatro. Com a outra parte do Grupo Fama estamos na reta final dos ensaios para a estréia de “Três Mulheres e um Amigo”, no dia 08/10, uma comédia de situações feita para arrancar muitas gargalhadas da platéia.

Ítalo – O que é ser empreendedor de Cultura no Centro-Oeste de Minas ?

Júnior – Acho que é coisa para malucos porque fazer arte hoje no Brasil é uma coisa insana. Ás vezes ficamos exaustos, pensamos em desistir, mas existe um público que precisa tomar consciência de que a arte é a opção de lazer deste novo milênio. É motivador quando vamos a outras cidades e  vemos famílias inteiras ou grupos de jovens em filas de teatros, cinemas, shows e dói o coração ver que isso não é constante em Bom Despacho. Ítalo – O que tem se mostrado como desafios para o negócio “teatro em Bom Despacho” ?

Júnior – Atualmente, temos alguns espaços em Bom Despacho que são “adaptados” para que os eventos aconteçam, mas a cidade precisa urgentemente de um local adequado para apresentações. Todo espetáculo exige uma sala apropriada com toda aparelhagem, acústica e conforto para os espectadores. Além disso, temos que cobrar dos políticos a aprovação imediata da Lei de Incentivo à Cultura Municipal o que facilitaria muito a produção artística não só das peças teatrais, mas também de outras áreas como música, dança, projetos sócio-educativos, entre outros.

Ítalo – Oportunidades para o seu negócio (fazer teatro)

Júnior – Hoje, nosso Grupo tem uma visão muito mais “humanista” do teatro do que a de negócio em si. Precisamos de patrocínio para colocar a peça pra “funcionar” e isso requer custos com gráfica, divulgação, aluguel de equipamentos, locação de espaço, transporte, etc. Uma apresentação custa caro e muita gente acha que pagar 5 reais de ingresso numa peça teatral é absurdo não valorizando todo o esforço que há por trás.

Ítalo – O que você gostaria de fazer de diferente na cidade?

Júnior – Aproximar mais o teatro das escolas, ver projetos e oficinas artísticas acontecendo com todo vigor. Sabemos que quanto mais cedo se insere na criança o sentido de que cultura é essencial para todo ser humano ela crescerá imbuída de valores que serão muito positivos para sua formação social.

Rápidas e Rasteiras

Já escolheu seus candidatos ? Lembre-se de conhecer as propostas do seu candidato, saber quem é ele, o que ele pensa fazer nos próximos anos de atuação, somente assim poderemos construir uma cidade melhor.

Palestra sobre Liderança na Unipac: dia 30, a partir das 20hs estarei na Unipac, a convite da Coordenação do Curso de Administração, apresentando palestra sobre como é a função do administrador à frente de atividades críticas nas empresas.

Segurança: tenho ouvido muita gente reclamar de problemas de segurança, o que tenho visto é que o policiamento é muito intenso na área central, gostaria de deixar aqui uma solicitação à PMMG para que fique mais atenta nos bairros da cidade.

Localização do Museu da Cidade: muita gente pergunta quando vem à cidade onde fica o Museu, atualmente se localiza na Avenida Ari Marques Pereira número 355 no centro da cidade, onde está a Secretaria de Saúde. Maiores informações com o Julio Benigno (telefone 3522-2553).

Posts Relacionados

Deixe uma resposta