Nossa cidade precisa investir em Ouro Verde

Elias Rafael, empresário do ramo de reflorestamento, concedeu-nos uma entrevista a fim de apresentar como é seu negócio e as oportunidades em nossa região. Elias, 60 anos, iniciou suas atividades florestais em 1971, na empresa Soplantil, na cidade de Patos de Minas como captador de recursos, oriundos do imposto de rendas direcionados ao reflorestamento. Mais tarde participou da área de execução de projetos, tornando-se sócio e  permanecendo até o ano de 1982. Com a cisão da Soplantil Ltda, foi convidado e aceito como sócio na empresa Seagro, permanecendo ate 1986, quando decidiu dar um tempo em reflorestamento depois de já ter plantado mais de 20.000 hectares.Ingressou no campo de títulos mobiliários junto a corretoras ligadas a bolsa de valores de Minas Gerais. No final de 1988 voltou às atividades florestais fundando a Delta Empreendimentos Florestais, hoje Ancora Florestal.

Ítalo – Reflorestamento: porque é um bom negócio?

Elias – Hoje, o Brasil e o mundo estão carentes de energia renováveis como, por exemplo, oriundos da madeira. Impossibilitado de usar madeira proveniente das poucas matas nativas existentes, pois, sua maioria quase tudo se exauriu com depredação do homem e a legislação atual impede esta pratica irregular. Na atualidade o recurso de formação de florestas renováveis, a exemplo o eucalipto,  são uma forma ecologicamente correta de se frear  a devastação desordenada, com isso suprindo as necessidades de vários seguimentos que necessitam deste recurso. Podemos citar o seguimento siderúrgico com o uso do carvão vegetal, cerâmicas, padarias, calcinações com uso da madeira como lenha para queima, construção civil com o uso da madeira para escoramento, o setor moveleiro na fabricação de móveis e utensílios, e as indústrias de tratamento de madeira para postes, moirões e estacas para cercas, por fim o setor de celulose e papel. Hoje reflorestamento é visto como um dos melhores investimentos, pois o retorno é em médio prazo proporcionando uma rentabilidade acima que oferece o café, gado, agricultura convencional. Vale salientar que um hectare de floresta plantada tecnicamente deixa-se de consumir dez hectares de mata nativa para os mesmos fins

Ítalo – Como funciona o crédito de carbono? Há empresas fazendo isso em Bom Despacho?

Elias – Sim, vale a pena reflorestar para se vender créditos de carbono desde que se tenha  grandes áreas disponíveis para plantio.Hoje no Brasil há somente uma empresa no setor florestal que já conseguiu vender seus créditos.Créditos de Carbono são certificados que autorizam o direito de poluir. O princípio é simples. As agências de proteção ambiental reguladoras emitem certificados autorizando emissões de toneladas de dióxido de enxofre, monóxido de carbono e outros gases poluentes. Inicialmente, selecionam-se indústrias que mais poluem no País e a partir daí são estabelecidas metas para a redução de suas emissões. As empresas recebem bônus negociáveis na proporção de suas responsabilidades. Todos os bônus, cotado em dólares, equivale a uma tonelada de poluentes. Quem não cumpre as metas de redução progressiva estabelecidas por lei, tem que comprar certificados das empresas mais bem sucedidas. O sistema tem a vantagem de permitir que cada empresa estabeleça seu próprio ritmo de adequação às leis ambientais. Estes certificados podem ser comercializados através das Bolsas de Valores e de Mercadorias, como o exemplo do Clean Air de 1970, e os contratos na bolsa estadunidense.Em Bom Despacho não há empresas ou produtores do setor florestal vendendo créditos de carbono.

Ítalo – Quais as oportunidades na área de reflorestamento em Bom Despacho e região?

Elias – O município de Bom Despacho e região oferece boa oportunidade para os produtores, empresários e investidores que queiram investir em reflorestamento por possuir áreas planas e cultiváveis  e se localizar próximas dos mercados consumidores.Hoje,em Bom Despacho já existem seguimentos  investindo nesta área. Por aqui não faltam profissionais, já existe um bom numero oferecendo serviços de implantação dos projetos a exemplo da Ancora Florestal Ltda., bem como viveiros de mudas clonadas de altíssima qualidade. O grande professor Acelino Couto Alfenas da Universidade Federal de Viçosa, citou  e indicou em seu livro “Cultura do Eucalipto Em Áreas Montanhosas” á pagina 15 na edição de 2007 o viveiro da Planta Brasil Ltda. como sendo um expoente em nossa região.

Ítalo – Quais suas preocupações com o futuro do planeta?

Elias – O meio ambiente esta gritando por socorro. O planeta esta penalizado  pela ação irresponsável do homem. Alem dos benefícios financeiros que uma floresta plantada oferece há de se lembrar que com esta atitude estamos contribuindo e muito com o equilíbrio do eco sistema do planeta. O clima do planeta já enlouqueceu e os efeitos são catastróficos, trazendo a humanidade um prejuízo irreparável. Comece a pensar nisso e contribua hoje para um futuro melhor da humanidade, basta não desmatar mais e comece já a formar floresta renováveis e de espécies nativas, ainda que de pequeno porte. Promovendo isto terá com certeza no fundo do quintal um tesouro chamado, OURO VERDE.

Rápidas e Rasteiras:

Meio Ambiente: vale ressaltar o trabalho que os alunos do Colégio Tiradentes vêm fazendo em relação ao meio ambiente. Eles têm procurado os vereadores para entrevistas e usado a tribuna da Câmara para debater e fazer propostas.

Fim do Transtorno: Depois de muitos problemas causados por alteração de nome de rua como já é de conhecimento de todos, a Rua Nossa Senhora de Fátima, situada nos bairros São José e Jardim América, voltou para seu nome original através da solicitação dos moradores dessa o projeto foi apresentado pelo vereador Ricardo Alvarenga, aprovado e sancionado pelo prefeito.

Concurso FURNAS Centrais Elétricas: a FUNRIO publicou dia 19/08, no Diário Oficial da União e na Folha Dirigida, o edital do novo concurso de FURNAS, que se destina a selecionar candidatos para provimento imediato de 318 vagas existentes. Outras 1.367 irão compor cadastro de reserva. Haverá vagas para cargos de nível médio e superior em diversas formações e 80% serão para as áreas de atividade-fim da Empresa. O concurso abrange 39 municípios de onze Unidades da Federação onde a Empresa atua. As inscrições poderão ser feitas a partir de 21/08, pela internet, através do site da organizadora do concurso, e a partir de 24/08, nos postos de atendimento relacionados no Edital. As taxas variam de R$ 70,00 (cargos de nível médio) a R$ 100,00 (cargos de nível superior). As provas serão aplicadas no dia 25 de outubro em locais a serem divulgados pela instituição. Os salários são de R$ 1.721,31 para os cargos de nível médio, R$ 2.245,88 para os cargos de nível médio técnico e R$ 3.298,06 para os cargos de nível superior. Os anexos do edital, com detalhes sobre os cargos, conteúdo e outras informações, estarão disponíveis a partir de sexta-feira (21/08) no site www.funrio.org.br.

Feira da Cachaça e Feira de Pedras: este ano o SESC LACES Bom Despacho abrigará esses 2 eventos tradicionais e importantes para a economia de nossa cidade e região. O evento acontecerá entre os dias 11 a 13 de setembro. Maiores informações com o Flávio, gerente do SESC, telefone 3522-7253.

Este e outros artigos você encontra no blog HTTP://www.www.italonaweb.com.br

Ítalo Coutinho é Professor e Coordenador do Curso de Gestão Estratégica de Projetos e Empreendimentos da UNIPAC, contatos para essa coluna pelo e-mail engenharia@saletto.com.br.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta