Quem disse que bom-despachense não sabe fazer sapato?

 

O entrevistado dessa semana é um jovem empreendedor. Como diz o ditado, “filho de peixinho, peixinho é”, seus pais mantêm negócios na cidade há muitos anos, sempre se destacando pelo bom nível de atendimento e excelência. O filho João Júlio Lopes de Araújo, 28 anos, não poderia deixar de herdar da família os genes de administrador. Formado em Administração de Empresas, habilitação em Comércio Exterior, João já morou e trabalhou em Belo Horizonte, teve oportunidade de ficar um tempo nos EUA, mas atualmente está de volta a Bom Despacho para cuidar dos negócios da família, um deles é a fábrica de sapatos instalada em Nova Serrana. Sua empresa, a Fegan, produz tênis esportivos e femininos. São 32 funcionários, entre produção e administrativo, seus maiores clientes estão localizados na região Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil, representando mais de 70% de suas vendas.

Ítalo – Quais as dificuldades e desafios que você encontra no seu negócio ?

João Júlio – Hoje em dia, principalmente com a globalização, o mercado está cada vez mais exigente, tanto em qualidade, como na agilidade de produção, no prazo de entrega e também na questão preço. Portanto, enfrentamos obstáculos a todo o momento. Buscamos constantemente fornecedores de matérias-prima de qualidade com preço          competitivo. Quanto a mão-de-obra, a indústria necessita, cada dia mais, profissionais qualificados para se ter eficiência na produção e resultando em qualidade do produto.

Ítalo – Quais oportunidades você tem visto no setor calçadista ?

João Júlio – Uma das oportunidades que posso enumerar é o fornecimento para o mercado externo, exportação, que devido à globalização, vem crescendo muito. Até mesmo com o MERCOSUL, já houve uma abertura comercial maior com nossos vizinhos, como Argentina, Uruguai, Paraguai.

Ítalo – O que a empresa tem projetado de crescimento ?

João Júlio – Temos como meta para 2008 o aumento de 20% em nosso faturamento e para 2009, aumentarmos 25% em relação a 2008.

Ítalo – Por que ser administrador de empresas ?

João Júlio – Sempre gostei da área de administração de empresa, de mercado. Em minha opinião, um administrador de empresas (empresário) precisa gostar de desafios, colocar metas e monitorar seu resultado, pois essas duas ferramentas (metas e monitoração de resultados) são imprescindíveis na empresa.

Ítalo – Como você conceitua uma pessoa empreendedora ?

João Júlio – Empreender é ousar. É enxergar as oportunidades de negócios e superar as dificuldades, criar alternativas para superar obstáculos.

Ítalo – Qual medida você tomaria caso soubesse de algo importante há 5 anos ?

João Júlio – Há 2 anos fizemos uma reestruturação em nosso sistema de gestão e de produção para obtermos o “selo de qualidade em gestão”. Os resultados foram tão positivos que lamento não ter sido feito antes. O mercado se torna cada dia mais exigente, para isso estar preparado para as rápidas mudanças é fundamental.

 

Rápidas e Rasteiras:

Reinado é Cultura Popular: além do apelo Religioso, nossa festa já se encontra instalada no folclore bom-despachense, com certeza umas das mais belas do Brasil, pela diversidade de cortes e dedicação dos que nela participam. Estava em Bom Despacho no dia 15 de agosto e pude ver nas ruas o cortejo dos reinadeiros. Fica aqui registrado minha admiração e apoio.

Votos para se eleger vereador: em relação à última eleição de 2004 serão precisos muito mais votos. A expectativa para se eleger esse ano, segundo alguns candidatos com quem conversei, é de que no mínimo serão necessários 1100 votos, dependendo do partido e coligação.

Feira de Pedras Semipreciosas e Artesanato Regional: acontecerá nos dias 5 a 7 de setembro, nas dependências do SESC-MG. O evento contará com estandes de produtores da cidade e região. Informações pelo telefone 3522-2339.

Festa do Reinado no Povoado da Passagem: acontece no próximo domingo, dia 31 de agosto, a partir das 18 horas, participe.

Projetores do Antigo Cine Regina: na exposição permanente do Museu da Cidade, estão os antigos projetores do Cine Regina, que se encontram em condições de funcionamento. São peças que despertam grande interesse pelo fascínio que o cinema exerce entre as pessoas de todas as idades. Equipamentos cinematográficos são muito raros em museus brasileiros, o que aumenta ainda mais a curiosidade dos visitantes. Doados em 1998 por dona Isa Gontijo, os projetores do Cine Regina integram o conjunto de peças mais representativas de nosso Museu.   Contato: Júlio Benigno (tel. 3522-2553).

Errata: no último texto confundi os filhos do Luiz Carlos, não são 2 filhas e sim um garoto e uma garota. Minhas sinceras desculpas ao Eduardo (filho do Luiz).

Planos que falharam: no seu artigo da semana passada, Renato fragoso comentou sobre os perdedores, o fascínio que isso causa a pessoas como o ex-jogador de futebol Tostão. Pois bem, estou lendo atualmente o livro “How To Lose a Battle – Foolish Plans” (Como perder uma batalha – planos tolos), editado por Bill Fawcett, ainda não lançado no Brasil. Uma boa dica de leitura para quem gosta da temática.

Posts Relacionados

One thought on “Quem disse que bom-despachense não sabe fazer sapato?

  1. Boa tarde eu comprei um tênis da marca de vocês Fenan, tenho a nota fiscal da loja, pensei que fosse de boa qualidade, ele esta novinho não chega ter 3 meses de uso, isso porque eu não uso ele quase e já esta descolando o solado dele, o que devo fazer pois não páguei barato, devo levar na loja que eu comprei não sei o que fazer aguardo uma resposta obrigada Ana Lucia.

Deixe uma resposta